Making off do livro Cultura e Identidade


Percorri milhares de quilômetros no Rio Grande do Sul trabalhando no projeto Cultura e Identidade, de Eurico Salis. Fui o fotógrafo assistente da obra, quando tive a oportunidade de conhecer mais das etnias que formam o gaúcho e fotografar os bastidores da captação de imagens.

Cultura e Identidade é o primeiro livro de fotografias do Brasil a ser totalmente disponibilizado com audiodescrição na web. Hoje, os deficientes visuais têm acesso à parte de exposições fotográficas, que contam com descrição – em braile ou sonora – de algumas peças apenas. Para assistir o vídeo, clique aqui.

Para ter acesso à obra em formato audiossonoro basta clicar aqui. 

Trilogia

Cultura e Identidade é o último livro da mais extensa trilogia documental fotográfica contemporânea sobre a gente do Rio Grande do Sul. A série começou com O Solo e o Homem (2013), onde a relação do gaúcho com a terra foi exaltada. Seguido por Homens e Máquinas (2017), que passou pelo ambiente industrial, enfocando o trabalhador com suas ferramentas – neste também trabalhei como fotógrafo assistente.

Agora, completando o conjunto, Cultura e Identidade mostra as etnias que formam o povo rio-grandense. Com textos de Renato Dalto e apresentação de Luiz Coronel , o volume tem 192 páginas.

Hospitalidade

Luiz Coronel escreve na abertura do livro: “Não procure no mapa um povo, um país ou um grupo social que aqui chegando não tenha conhecido a hospitalidade que as distâncias nos ensinaram, nossos rios batizaram e o vento encobriu por todas as regiões do Rio Grande”.

Identidade

Para Renato Dalto, “São geografias diferentes e gaúchos distintos que as habitam. Pertencem às lonjuras pampeanas, aos sítios encravados nos vales, às escarpas das serras, ao litoral praiano. O homem e o meio forjam um ao outro e a origem de cada um pincela suas marcas em sotaques, hábitos e diferenças. Uma identidade múltipla. O desafio é entendê-la em seu sentido de raiz e universo.”

Cultura e identidade levou um ano e seis meses para ser construído e contemplou todas as regiões do RS.

Portfólio

Eurico Salis clica crianças da comunidade alemã. Foto: João Mattos

Eurico Salis com o Rabino Mendel Liberow, da comunidade judaica do RS. Foto: João Mattos

Sábado de orações muçulmanas junto à comunidade senegalesa do RS

João Mattos fotografa Eurico Salis e Rabino Mendel Liberow, da comunidade judaica do RS. Making off do livro Cultura e Identidade.

Rabino Guershon Kwaniewski, imigração judaica. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica família italiana. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica descendente de japoneses. Foto: João Mattos

Eurico Salis fotografa italiano. Foto: João Mattos

Comunidade polonesa. Foto: João Mattos

Eurico Salis fotografa senegalês. Foto: João Mattos

Eurico Salis e integrantes da comunidade palestina em Aceguá. Foto: João Mattos

Eurico Salis e integrantes da comunidade palestina em Aceguá. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica Caco Xavier afrodescendente. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica indígenas na estrada - BR 290. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica família polonesa. Foto: João Mattos

Eurico Salis e integrantes da Fábrica de Gaiteiros. Foto: João Mattos

Eurico Salis e Pazzenato. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica Andrea, descendente de espanhóis. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica senegaleses muçulmanos em sábado de orações. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica integrantes da comunidade polonesa. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica integrantes da comunidade polonesa. Foto: João Mattos

Eurico Salis clica Caco Xavier, afrodescendente do projeto Oficina do Tambor, Pelotas, com o mestre Griô. Foto: João Mattos

Eurico Salis e imigrantes alemães. Foto: João Mattos

Eurico Salis e crianças da comunidade alemã, de Westfália. Foto: João Mattos

Imigração palestina no RS. Foto: João Mattos

Imigração palestina no RS. Foto: João Mattos

Eurico Salis e Cláudia Sperb, no atelier Caminho das Serpentes, Morro Reuter. Foto: João Mattos